• Fernando Fagá Alves

Como a Transformação Digital explica o aumento do valor da Arezzo

Atualizado: Jul 23

Investidores estão recompensando a Arezzo pelos seus esforços em transformação digital. A empresa vem sendo um destaque na bolsa de valores. Veja nesse artigo quais ações a empresa tomou para conseguir praticamente dobrar seu valor de mercado em apenas um ano, em meio à pandemia.



As ações da Arezzo&co não param de se valorizar. Enquanto no início da pandemia a maioria dos varejistas perderam valor de mercado em meio a Lockdowns a Arezzo resistiu.


A empresa liderada por Alexandre Birman, que já vinha em uma ascendente, teve um crescimento de valor de mercado de 83% em um ano (comparando ago/20 com ago/2021).


A Arezzo&Co hoje é um conglomerado que faz a gestão de diversas marcas. As principais são: Arezzo, Schutz, Anacapri e a recém-adquirida operação da Vans no Brasil.


Como eles conseguiram convencer o mercado a valorizar sua ação? Continue lendo para descobrir


Aumento da receita na internet


Comparando o 3T de 2020 com o 3T de 2019, as vendas na internet aumentaram 28% ao semestre, passando de R$ 55 M para R$ 155 M por semestre. A representatividade do canal passou de apenas 10% para 29% no período. No último resultado divulgado no primeiro trimestre de 2021 a empresa atingiu 24%, explicado, porém, pelo crescimento mais acelerado em outros segmentos.


A empresa viu a oportunidade de criar um e-commerce unificando a oferta das diversas marcas sob sua gestão e criou em outubro a plataforma ZZ Shop. Nessa plataforma é possível comprar produtos da Arezzo&Co, assim como produtos de outras marcas, como a Vivara e Hope. Com isso, a empresa se posiciona como uma parada única para o consumo de diversas categorias, mirando o público feminino.


O aumento da receita com vendas online salvou os resultados da empresa e permitiu que o recuo da receita fosse de apenas 31%, contra 45% do setor de vestuários e calçados como um todo no período mais agudo da pandemia.


Parceria – Marina Ruy Barbosa


A Arezzo também está fazendo parcerias com influenciadoras. Recentemente, fecharam uma parceria com a Ginger, marca da atriz Marina Ruy Barbosa. A atriz foi protagonista de um reality show de 7 episódios mostrando o processo criativo. A empresa entendeu que, em um mundo digital, contar o que está por trás dos seus produtos é uma excelente forma de ganhar mentes e corações dos seus clientes.


Influenciadoras


Para alavancar a tendência de influenciadoras digitais de maneira mais ampla, a Arezzo está criando um programa de parcerias. Nesse programa, autônomos poderão vender produtos da Arezzo de forma mais integrada com a sua atuação em mídias digitais.


OmniChannel


O objetivo da marca é integrar a experiência em aplicativo, website e lojas físicas. As ações para acelerar o OmniChannel atualmente são mostradas na imagem abaixo:



Novos mercados


Vestuário com a aquisição da Reserva


A aquisição da Reserva pela Arezzo por R$ 715 milhões teve um grande motivo estratégico. Com a aquisição, a empresa aumentou 4X o tamanho do seu mercado em potencial, passando de R$ 11 B para R$ 40 B. Com o crescimento da estratégia online, é importante ter uma variedade maior para aumentar o apelo da oferta de produtos, principalmente por conta da entrada do grupo na categoria de vestuário masculino e feminino.


Trocas e brechós


A Arezzo identificou o mercado de trocas como uma tendência global. Por conta disso, adquiriu a 75% da Troc por um valor ainda não divulgado. Na apresentação da empresa, o mercado de trocas é estimado em R$ 7 Bi em 2019, tendo potencial de alcançar R$ 31 Bi em 2029.


Com a aquisição, a Arezzo espera desbravar e explorar sinergias com um mercado ainda pouco explorado por grandes players. Os serviços da Troc serão incorporados à plataforma ZZ Mall, possibilitando que os clientes realizem trocas de produtos usados por créditos na plataforma.


Além disso, com o aumento do negócio, a Arezzo irá gerar dados sobre o guarda roupa das suas clientes. Com essas informações, poderão lançar novos produtos e ofertas de uma maneira difícil de ser replicada.


ZZ Ventures


A ZZ ventures é o novo braço de CVC do grupo Arezzo. A Arezzo&Co espera fazer parcerias com startups não apenas para explorar novos mercados e canais, mas também para reduzir custos e melhorar seu processo.


Dados e CRM


A Arezzo atribui R$ 86 M do resultado de Sell Out em lojas e R$ 52 M do Sell Out Online para sua estratégia de dados. Com a intensificação das compras online, a empresa sabe cada vez mais sobre o seu consumidor e consegue enviar campanhas específicas baseadas no perfil de cada um.


Em 2021, a empresa está atualizando a estrutura do seu CRM, integrando novos negócios, para alavancar a escala de personalização e entendimento da sua base. É possível que a empresa esteja preparando o lançamento de um plano de fidelidade. Hoje, a empresa tem uma parceria com o plano de fidelidade Livelo. A cada um real gasto na Arezzo, o cliente pontua 3 pontos na plataforma Livelo.


Aprendizados da Transformação da Arezzo


1: Empresas que investem em inovação são mais resilientes


A Arezzo investiu pesadamente durante os últimos anos em Inovação e Transformação Digital. Durante o período de 2018 a 2019, a companhia investiu centenas de milhões de reais em modernização industrial e na criação de plataformas digitais. Investiu em aquisições custosas em 2020 e 2021, que ainda precisam resistir ao teste do tempo.


Entretanto, tais investimentos tornaram a companhia resiliente e permitiram que ela reduzisse suas perdas em um mundo extremamente volátil. Quando a Arezzo começou a investir no canal online e em OmniChannel, não havia risco de pandemia.


2: A capacidade de comprar empresas para o crescimento é uma fonte de vantagem competitiva


Com o investimento em novas empresas, canais e estratégias de conexão com o consumidor, a Arezzo já é bem mais do que uma empresa que vende bolsas e calçados. Passa a ser um grupo que consegue alavancar competências entre diferentes empresas, alavancar sinergias entre negócios e vender digitalmente, criando uma estratégia única e capturando mais valor dos seus clientes.


Além de ser um case em Transformação Digital, a história da Arezzo trás aprendizados sobre estratégia corporativa. Eles entenderam aonde gostariam de chegar como empresa e, além do crescimento orgânico, fizeram fusões e aquisições (cuja mais bem sucedida até o momento foi com o grupo Reserva) e parcerias (com a Vans do Brasil). Dominar a competência de buscar oportunidades fora da sua empresa é uma alavanca de valor normalmente subutilizada por empresas Brasileiras. Criar uma estratégia sólida e executá-la e desenvolver competência para avaliar negócios e incorporá-los é extremamente dificil. Porém, o sucesso nesse tipo de operação pode trazer grandes recompensas financeiras.


A Arezzo mostra que entendeu o caminho para o o qual o mundo está indo e que vai se transformar em uma empresa cada vez mais digital e próxima dos seus clientes. Entendeu que a inovação precisa ficar no foco da estratégia e, para isso, precisa olhar para outras empresas do setor, startups e, principalmente, para seus clientes.


Fernando Alves é mestre em negócios (FT-MBA/2019) pela University of Southern California e bacharel em economia pela FGV. É o fundador da PilarX – consultoria de inovação e marketing.


15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo