Como ser inovador sem abrir mão da eficiência?

Atualizado: Out 4

Equilibrar o presente e o futuro da empresa nunca foi tão importante. Com a Abordagem das 3 caixas esse desafio fica mais simples e gerenciável.


Quando uma empresa é nova é muito fácil ser inovador. A comunicação é simples, é fácil executar novas ideias. A burocracia é pequena. Tudo flui naturalmente. Quando a empresa cresce, a inovação fica mais complicada. A empresa precisa de estruturas e sistemas de gestão que dificultam a inovação. É preciso padronizar processos. É preciso proteger o que já foi conquistado. O foco em inovação dá lugar ao foco em em eficiência.


Antes das tecnologias que deram lugar à quarta revolução industrial tomarem o mundo, o ritmo de disrupção de indústrias era muito menor. O mundo era um lugar mais simples. Conseguir gerir um negócio com eficiência, reduzindo custos e inovando dentro do P&D era suficiente. Hoje isso mudou. Quando um negócio exponencial atinge um ponto de inflexão, cresce muito rapidamente num curto espaço de tempo. Dessa forma, é impossível reagir quando o movimento exponencial já está em curso. É tarde demais.


A morte da Blockbuster é o exemplo claro dessa tendência. Eles tiveram a oportunidade de comprar a Netflix por U$ 100 milhões. Eles acharam que o valor era uma piada ao analisar a estratégia e os ativos da empresa. Quando eles se deram conta de que o Netflix era uma ameaça real, já era tarde demais. A Blockbuster estava sangrando e não houve nada que pudessem fazer. Investidores ativistas acharam que a empresa chegou num ponto no qual valia mais morta do que viva. A empresa foi liquidada.